Soneto do amor



Palavras não ditas
Às vezes por gestos, explícitas
Serão então percebidas?
Posto que não são ouvidas!

Mente enamorada entusiasta!
Por que olvida da razão?
Ao entregar-se à paixão,
Não atina que o simples ato basta...

Contesta o clamor da taciturnidade,
Confunde a acepção da felicidade,
Crê na necessidade da mútua sujeição...

Engana-se quando se torna dependente
Já que a essência jamais será de parasita,
Mas de simbiose e cumplicidade.
Juliana de Carvalho Machado

2 comentários:

  1. Este é o verdadeiro significado de amar!

    ResponderExcluir
  2. Lindo! No amor verdadeiro não há dependencia, não há perda da individualidade, e sim SIMBIOSE E CUMPLICIDADE.
    Ana Maria.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...