Jacques Lacan (1901-1981)



Jacques Marie Lacan nasceu em Paris, em 13 de abril de 1901, de família burguesa e católica. Formou-se em medicina, especializando-se em psiquiatria, e foi interno de Gaétean de Clérambaut, a quem considerava seu único mestre no campo psiquiátrico. Com a tese de doutorado La Psychose paranoïaque dans ses rapports avec la personnalité (1932; A psicose paranóica em suas relações com a personalidade), mostrou impressionante erudição e simpatia pela psicanálise, numa época em que preconceitos obstavam sua disseminação na França.

Para Lacan os fundamentos psicanalíticos se encontram no próprio conceito de inconsciente. Para empreender sua grande crítica às vertentes americana e francesa da psicanálise, cujo tema central é a discussão sobre o imaginário, pesquisou a linguagem e deduziu que é ela a condição de existência do inconsciente, que só existe no sujeito falante. Afirmou a autonomia do significante e o inseriu na origem simbólica, constituída pela linguagem. Afirmou que o significante preexiste ao sujeito e sobrevive a ele, faz do sujeito homem ou mulher, traça seu destino e o priva de qualquer relação natural com o mundo. Abordou temas tão complexos quanto polêmicos, como a ética da psicanálise, a transferência, o princípio do prazer e conceitos fundamentais da psicanálise.
Em 1980, dissolveu a Escola Freudiana de Paris, que fundara em 1964, e criou a Escola da Causa Freudiana. Lacan faleceu em Paris, em 9 de setembro de 1981.

Pensamentos

"A lei e o desejo recalcado são uma só e mesma coisa."

“A lei do homem é a lei da linguagem."

"A criança, interiorizando a Lei, identifica-se com o pai e faz dele seu modelo. A Lei torna-se então libertadora: pois, separada da mãe, dispõe de si mesma, toma consciência do que se deve fazer e se orienta em direção ao futuro. Insere-se no social, na Cultura e entra na linguagem"
“A angústia é a maior fonte da criação".

“A transferência é a realidade do inconsciente posta em ato."

“A transferência é uma relação essencialmente ligada ao tempo e seu manejo."
“A verdade não é outra coisa senão o que o saber só pode aprender que sabe ao pôr em ação sua ignorância."

"A verdade tem estrutura de ficção."

“Deus é inconsciente."

Em entrevista para a revista italiana Panorama em 1974: O que leva as pessoas a se analisarem? Lacan responde:
"O medo. Quando lhes acontecem coisas que, mesmo desejadas, quando elas acontecem, elas não compreendem. Por isso o homem tem medo. Ele sofre por não compreender e, pouco a pouco, cai num estado de pânico. É isso a neurose. Na neurose histérica, o corpo fica doente devido ao medo de estar doente, até mesmo, sem o estar na realidade. Na neurose obsessiva, o medo coloca coisas bizarras na cabeça, pensamentos que não podemos controlar, nas fobias as formas e os objetos adquirem significações diversas, e... geram medo."

“Longe de ser a loucura o fato contingente das fragilidades de um organismo, ela é a virtualidade permanente de uma falha aberta na sua essência. Longe de ser para liberdade 'um insulto', ela é sua mais fiel companheira, ele segue seu movimento como uma sombra. E o ser do homem não pode ser compreendido sem sua loucura, assim como não seria o ser do homem se não trouxesse em si a loucura como limite de sua liberdade."

“Mais-além do que o sujeito demanda, mais-além do que o outro demanda ao sujeito, há o que o outro (a mãe) deseja. Insistimos em várias ocasiões no que a dimensão do desejo define: ser situado no desejo do Outro.

"Na civilização mecânica, não há mais lugar para o tempo mítico, senão no próprio homem"

"Não cederás no que tange ao teu desejo."

"O inconsciente é a condição da lingüística."

"O inconsciente é o capítulo de minha história que é marcado por um branco ou ocupado por uma mentira: é o capítulo censurado".

"O desejo é a essência da realidade."

"O desejo fundamental é ser desejado"

"O desejo reproduz a relação do sujeito com o objeto perdido"

"O desejo do homem encontra seu sentido no desejo do outro, não tanto porque o outro detenha as chaves do objeto desejado, mas porque seu primeiro objeto (do desejo do homem) é ser reconhecido pelo outro".

"O enigma é o cúmulo do sentido."

"O eu é o sintoma humano por excelência."

"O maior temor do neurótico é se deparar com a castração do Outro."

"O olhar é o avesso da consciência."

“O que importa quanto amores você tem se nenhum deles te dá o universo?"

"O que não veio à luz no simbólico, aparece no real."

"O que o ser humano mais quer é ser desejado por outro ser humano."

"O real é impossível."

"Penso onde não sou (estou), logo sou (estou) onde não penso."

"Toda palavra tem sempre um mais além, sustenta muitas funções, envolve muitos sentidos. Atrás do que diz um discurso, há o que ele quer dizer e, atrás do que quer dizer, há ainda um outro querer dizer, e nada será nunca esgotado."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...