Oscar 2013 - Canção Original



Nos primórdios do cinema, os filmes não tinham trilha sonora, ou seja, não tinham uma sonoridade que correspondesse às imagens exibidas. Os filmes não falavam nem cantavam. O silêncio era quebrado, por músicos que executavam melodias ao vivo, no local de exibição.

Com a chegada do som ao cinema, as trilhas sonoras começaram a ocupar um lugar de destaque nas produções. O som passou a ser um importante aliado da imagem, não só para ambientar a situação, como para contribuir com a narrativa, com a construção do sentido e do sentimento da cena.

A música para filmes seguiu o desenvolvimento da linguagem cinematográfica: compreendeu o surgimento dos filmes de gênero e adaptou-se a eles e, mais tarde, abriu espaço para as melodias populares.

O papel da trilha sonora no cinema é contar histórias através de imagens. A relação entre música e imagem é um dos pilares da linguagem cinematográfica. Sua combinação é capaz de criar símbolos, guiar sentimentos, fazer uma narrativa avançar, ilustrar ações, identificar personagens e dramatizar acontecimentos.
A música pode reforçar aquilo que já está sendo dito, sugerir algo além do que está sendo dito, complementando a narrativa, ou discordar entre si.

Confira as músicas indicadas ao Oscar 2013 na categoria “Canção Original”, e faça a sua escolha...  

“Skyfall”, de “007 – Operação Skyfall” – Adele
 
“Suddenly”, de “Os Miseráveis” – Claude-Michel Schönberg (música), Herbert Kretzmer (letra) e Alain Boublil (letra)


“Before my time”, de “Chasing Ice” – J. Ralph


“Everybody needs a best friend”, de “Ted” – Walter Murphy (música) e Seth MacFarlane (letra)

 
“Pi’s lullaby”, de “As aventuras de Pi” – Mychael Danna (música) e Bombay Jayashri (letra)





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...