O Rei dos Leões

 O Rei dos Leões

Ha muitos anos um estrangeiro levou um burro para Uganda e, certa manhã, ele fugiu para o campo.
Zurrou por tanto tempo e com tanto barulho que despertou um leão que estava tranqüilamente dormindo.
O leão levantou-se e ficou muito assombrado com aquele som e pensou:
- Este bicho estranho, com orelhas compridas e pontudas, deve ser muito mais perigoso do que eu.

Cautelosamente se aproximou e perguntou:
- Quem é o senhor?

- Sou o Rei dos Leões, respondeu o burro. Não ouviu o meu desafio?

- Ouvi, disse o leão. Mas não precisamos travar uma luta. Podemos chegar a um acordo e fazer uma dupla contra todos os outros animais.

- Pois sim, respondeu o burro; e logo foram embora juntos.

Depois de muito andar, chegaram junto a um rio. O leão atravessou-o num único salto, mas o burro teve de atravessá-lo a nado e com muita dificuldade.

- Você não sabe nadar? Perguntou o leão.

-Nadar? Claro que sei, disse o burro. Nado como um pato, mas é que pesquei um enorme peixe com a minha cauda e ele quase me puxou para debaixo da água. Mas já que está tão impaciente para ir embora, vou largá-lo.

Pouco tempo depois chegaram ao pé de um muro bem alto. O leão galgou-o facilmente e o burro conseguiu passar as patas dianteiras, mas estava com dificuldade de fazer mais que isso.

- O que é que estás fazendo? Perguntou o leão.

- Então não vê? Retorquiu o burro. Estou me pesando para saber se minha parte dianteira é tão pesada como a trazeira.

Depois de muito esforço, o burro conseguiu passar, e o leão lhe disse:
- O senhor não tem nenhuma força. Vou lutar contigo.

- Quando quiser, respondeu o burro, mas primeiro devemos fazer uma experiência com as nossas forças. Quando vejo que não posso saltar um muro eu o boto a baixo. Vamos ver se é capaz de fazer isso.

O leão começou a bater no murro com as patas, mas se feriu muito e teve de desistir. Em seguida o burro escoiceou o muro com tanta força que ele logo caiu.

- Sim, o senhor tem mesmo muita força! Disse o leão, lambendo as patas feridas. Quero que seja aclamado Rei dos Leões.

No dia seguinte reuniram-se todos os leões de Uganda, e o burro conduziu-os a um vale coberto por árvores cheias de espinhos.

- Oh! Por favor, não vá por aí! Gritaram os leões cheios de terror. Os espinhos se enterrariam em nossas patas.

- Mas que criaturas medrosas! Disse o burro. Olhem para mim.

E para grande espanto dos presentes àquela assembléia, começou a comer as plantas espinhosas. E assim foi aclamado, por unanimidade, Rei dos Leões.

Como o burro não comia carne, nunca se servia da caça que os seus súditos matavam. Dessa forma passou a ser considerado como o melhor rei de todos os tempos.

 Esopo (620-560 a.C.) é um personagem mais lendário do que histórico. A maior parte do que se conta sobre a sua vida é baseada em relatos de outros escritores antigos. Ele teria sido um escravo muito inteligente, cujo dono o teria libertado ao descobrir suas fábulas. Depois de livre viajou pelo mundo, passando pelo Egito, a Babilônia e o Oriente. Não existe prova concreta que tenha escrito alguma coisa. O que consta é que suas fábulas faziam parte da tradição oral dos gregos, passaram de boca em boca até serem reunidas num volume escrito por Demétrio de Falera mais de duzentos anos depois de sua suposta morte. Não se sabe ao certo o local de seu nascimento. Muitas cidades clamam para si esta honra, entre elas estão Atenas, Trácia, Frígia, Etiópia, Samos e Sardes. Consta que teria morrido em Delfos.

As fábulas reunidas que lhe são atribuídas formam um conjunto de pequenas histórias, de caráter moral e alegórico, tendo animais e plantas no papel principal que falam, cometem erros, são sábios ou tolos, maus ou bons, como são os homens em todos os tempos. Sua meta seria mostrar, com pequenas histórias, como são os seres humanos em suas atitudes tanto para o bem como para o mal.. Essas pequenas histórias eram muito apreciadas pela cultura popular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...