Imoral é Desistir de Si Mesmo



Uma luz muito doce se espalha sobre a Terra como um perfume.
A Lua dilui-se lentamente
E um sol-menino espreguiça os braços translúcidos...
Frescos murmúrios de águas puras que se abandonam aos declives.
Um par de asas dança na atmosfera rosada.

Silêncio, meus amigos.
O dia vai nascer

A minha intimidade?
Ela é a máquina de escrever.
Sinto um gosto bom na boca quando penso.
Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso.
Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.

Depois de certo tempo,
Cada um é responsável pela cara que tem
E ninguém é eu,
E ninguém é você.

Esta é a solidão.
É uma infâmia nascer para morrer,
Não se sabe quando nem onde
Minha força está na solidão.

Não tenho medo nem de chuvas tempestivas
Nem de grandes ventanias soltas,
Pois eu também sou o escuro da noite

Na arte, a inspiração tem um toque de magia,
Porque é uma coisa absoluta, inexplicável.
Não creio que venha de fora pra dentro, de forças sobrenaturais.
Suponho que emerge do mais profundo 'eu' da pessoa,
Do inconsciente individual, coletivo e cósmico

Não é saudade...
Eu tenho agora minha infância mais do que quando ela decorria
Não me posso resumir,
Porque não se pode somar uma cadeira e duas maçãs.
E não me somo

O fato de ter nascido me estraga a saúde
O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo

Os fatos são sonoros.
O que importa são os silêncios por trás deles.

Que ninguém se engane,
Só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.

Renda-se, como eu me rendi.
Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei.
Não se preocupe em entender,
Viver ultrapassa qualquer entendimento
Vocação é diferente de talento.
Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é,
Pode-se ser chamado e não saber como ir.
 Clarice Lispector

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...