Sonhos de Destino




"Somos todos homens e mulheres, com medos e aspirações semelhantes.
A maneira de ir da discórdia para a harmoniaé ir da concentração de diferenças para a concentração de semelhanças."
Anthony Robbins


1
SONHOS DE DESTINO

“O homem consistente acredita no destino,

O homem volúvel no acaso.”
BENJAMIN DISRAELI



TODOS NÓS TEMOS SONHOS... Todos nós queremos acreditar no fundo de nossas almas que temos um dom especial, que somos capazes de fazer uma diferença, que podemos tocar os outros de um modo especial, e que podemos fazer do mundo um lugar melhor. Em determinada época de nossas vidas, visualizamos a qualidade de vida que desejávamos e merecíamos. No entanto, para muitos, esses sonhos foram tão encobertos pelas frustrações e rotinas da vida cotidiana que não nos esforçamos mais para realizá-los. Para a grande maioria o sonho dissipou-se — e, com ele, a vontade de moldar nossos destinos. Um grande número perdeu aquele senso de certeza que cria a margem de vantagem do vencedor. O desafio da minha vida tem sido restaurar o sonho e torná-lo real, fazer com que cada um se lembre do poder ilimitado que dorme no interior de todos nós e o use.

Jamais esquecerei o dia em que realmente me dei conta de que estava vivendo de fato o meu sonho. Eu me encontrava em meu helicóptero a jato, vindo de uma reunião de negócios em Los Angeles, e seguindo para Orange County, onde daria um dos meus seminários. Ao sobrevoar a cidade de Glendale, reconheci de repente um prédio grande, parei o helicóptero por cima. Observando melhor, percebi que era o lugar em que trabalhara como zelador apenas doze anos antes!

Naquele tempo, minha grande preocupação era se meu Volkswagen 1960 não se desmancharia durante os trinta minutos que durava a viagem até o trabalho. Minha vida focalizava em como eu ia sobreviver; tinha medo e me sentia solitário. Mas naquele dia, pairando ali no céu, pensei: “Que diferença uma década pode fazer!” Sem dúvida que eu tinha sonhos naquele tempo, mas parecia que jamais seriam realizados. Hoje, contudo, vim a crer que todos os fracassos e frustrações na verdade estavam assentando a base para o entendimento que criou o novo nível de vida que agora desfruto. Ao continuar meu vôo para o sul, ao longo da costa, localizei golfinhos brincando com surfistas nas ondas lá embaixo. É uma visão que minha mulher Becky e eu apreciamos como uma das dádivas especiais da vida. Finalmente cheguei a Irvine. Olhando para baixo, fiquei um pouco perturbado quando vi a rampa de saída para o meu seminário tomada por um engarrafamento de mais de um quilômetro. Pensei: “Puxa, espero que seja o que for que esteja acontecendo comece logo, para que o pessoal que vai ao meu seminário chegue a tempo.”

Mas ao descer para o heliporto, passei a ver um novo quadro: milhares de pessoas sendo contidas pela segurança, no lugar em que eu estava prestes a pousar. Comecei, de repente, a perceber a realidade. O engarrafamento era causado pelas pessoas que iam ao meu evento! Embora esperássemos cerca de duas mil pessoas, eu tinha diante de mim uma multidão de sete mil para um auditório em que caberiam apenas cinco mil! Quando entrei, fui cercado por centenas de pessoas que queriam me dar um abraço ou me dizer como meu trabalho tivera um impacto positivo em suas vidas.

As histórias que me contaram eram incríveis. Uma mãe apresentou-me ao filho que tinha sido classificado como “hiperativo” e “inapto para o aprendizado”. Utilizando os princípios de administração de estado, ensinados neste livro, ela não só conseguira libertá-lo do remédio chamado Ritalin, como também se mudaram para a Califórnia, onde seu filho fizera novos testes e fora avaliado ao nível de gênio. Precisava ver o rosto dele quando ela partilhou comigo sua nova classificação. Um homem me contou como se livrara da cocaína usando algumas das técnicas do Condicionamento do Sucesso, que você aprenderá neste livro. Um casal de meia-idade me disse que só não tinha se divorciado após quinze anos de casamento por causa da descoberta das regras pessoais. Um vendedor me contou como sua renda mensal pulara de dois mil para mais de doze mil dólares, em apenas seis meses, e um empresário afirmou ter aumentado a receita da firma em mais de três milhões de dólares em dezoito meses, aplicando os princípios das perguntas de qualidade e da administração emocional. Uma linda jovem mostrou-me um retrato de como era antes de ter perdido mais de vinte e cinco quilos, aplicando os princípios da alavanca, detalhados neste livro.

Fiquei tão comovido pelas emoções naquela sala que me senti sufocado e, a princípio, não consegui falar. Quando olhei para a platéia e vi cinco mil rostos sorridentes, animados e afetuosos, percebi que estava vivendo o meu sonho! Que sensação saber que sem sombra de dúvida eu tinha a informação, as estratégias, as filosofias e técnica que poderiam ajudar a qualquer uma daquelas pessoas a efetuar as mudanças que mais desejassem! Uma torrente de imagens e emoções me invadiu. Comecei a me lembrar de uma experiência que tive alguns anos antes, sentado em meu apartamento de solteiro de 36 metros quadrados em Venice, Califórnia, sozinho e chorando ao ouvir a letra de uma canção de Neil Diamond: “Eu sou, eu disse, para ninguém. E ninguém ouviu, nem mesmo a cadeira. Eu sou, exclamei. Eu sou, falei. E estou perdido, e não posso nem dizer por que, o que foi que me deixou tão só.” Lembro de ter sentido que minha vida não tinha importância, como se os eventos do mundo é que me controlassem. Lembro também do momento em que minha vida mudou, o momento em que finalmente eu disse: “Chega! Sei que sou muito mais do que estou demonstrando mental, emocional e fisicamente em minha vida.” Tomei uma decisão naquele momento que ia alterar minha vida para sempre. Decidi mudar virtualmente todos os aspectos da minha vida. Decidi que nunca mais me conformaria com menos que eu pudesse ser. Quem teria adivinhado que aquela decisão fosse me levar a um momento incrível daqueles?

Dei tudo de mim no seminário naquela noite, e quando deixei o auditório, uma multidão acompanhou-me até o helicóptero para se despedir. Dizer que me senti profundamente comovido por aquela experiência seria pouco. Uma lágrima escorreu pelo meu rosto quando agradeci ao Criador por aquela dádiva maravilhosa. Depois que levantei vôo, tive que me beliscar. Aquilo seria verdade? Seria eu o mesmo homem que oito anos antes estava lutando, frustrado, sentindo-se sozinho e incapaz de fazer sua vida dar certo? Gordo, falido e sem saber se ao menos seria possível sobreviver? Como um garoto como eu, sem nada além de instrução secundária, pudera criar mudanças tão drásticas?

Minha resposta é simples: aprendi a utilizar o princípio que agora chamo de concentração do poder. Muita gente não tem idéia da imensa capacidade que podemos comandar imediatamente quando focalizamos todos os nossos recursos para dominar uma área de nossas vidas. O foco concentrado é como um raio laser, capaz de cortar qualquer coisa que pareça estar detendo você. Quando focalizamos consistentemente nossos recursos no aperfeiçoamento de qualquer área, desenvolvemos características únicas nesse sentido. Uma razão por que tão poucos de nós conseguimos o que realmente desejamos é que nunca dirigimos o nosso foco; nunca concentramos nosso poder. Muitas pessoas se arrastam pela vida, sem decidir dominar qualquer coisa em particular. Na verdade, acredito que muitas pessoas falham na vida porque se especializam em coisas secundárias. Acredito que uma das maiores lições da vida é aprender a entender o que nos leva a fazer o que fazemos. O que molda o comportamento humano? A resposta a esta pergunta proporciona dados críticos para moldar o seu próprio destino.

Toda a minha vida tem sido continuamente impulsionada por um foco único e irresistível: O que faz a diferença na qualidade de vida das pessoas? Como pessoas com um início humilde e antecedentes difíceis conseguem freqüentemente — e a despeito de tudo — criar vidas que nos inspiram? Inversamente, por que tantos nascidos em ambientes privilegiados, com todos os recursos para ter sucesso, terminam gordos, frustrados e muitas vezes dependentes de alguma droga química? O que faz da vida de algumas pessoas um exemplo, e da vida de outras uma advertência? Qual o segredo que cria vidas apaixonadas, felizes e agradáveis para tanta gente, enquanto que para outras pessoas só resta talvez perguntar: “Isto é tudo o que existe?”

A minha magnífica obsessão começou com algumas perguntas simples: “Como posso assumir de imediato o controle da minha vida? O que posso fazer hoje que resulte numa diferença sensível — que ajude a mim e aos outros a moldar o destino? Como posso expandir-me, aprender, crescer e compartilhar esse conhecimento de uma maneira significativa e agradável?”

Desde muito cedo, desenvolvi a convicção de que todos nós estamos aqui para contribuir com algo único, que no fundo de cada um existe um dom especial. Acredito sinceramente que temos um gigante adormecido dentro de nós. Todos possuímos um talento, um dom, a nossa centelha de gênio esperando ser despertada. Pode ser um talento para a pintura ou para a música. Pode ser um modo especial de se relacionar com as pessoas a quem se ama. Pode ser uma capacidade genial para vender, inovar ou elevar-se em seu negócio ou carreira. Preferi acreditar que o nosso Criador não concede privilégios, que cada um de nós foi criado como uma pessoa singular, mas com oportunidades iguais para experimentar a vida em sua plenitude. Há muitos anos decidi que o modo mais importante que eu poderia gastar minha vida seria investindo em algo que durasse mais do que ela. Decidi que de algum modo eu tinha de contribuir de uma forma que sobrevivesse à minha morte.

Tenho hoje o incrível privilégio de compartilhar minhas idéias e sentimentos com literalmente milhões de pessoas através dos meus tapes e programas de televisão. Trabalhei pessoalmente com mais de um quarto de milhão de pessoas apenas nos últimos anos. Ajudei membros do Congresso, presidentes de companhias e de países, gerentes e mães, vendedores, contadores, advogados, médicos, psiquiatras, conselheiros e atletas profissionais. Trabalhei com portadores de fobias, deprimidos, pessoas com múltipla personalidade e pessoas que pensavam que não tinham personalidade. Agora tenho a sorte única de compartilhar o melhor do que aprendi com você, leitor, e por esta oportunidade sinto-me sinceramente grato e entusiasmado.

Esse tempo todo continuei a reconhecer o poder que os indivíduos têm de mudar virtualmente qualquer coisa em suas vidas num instante. Aprendi que os recursos de que precisamos para transformar nossos sonhos em realidade estão dentro de nós, aguardando apenas o dia em que decidirmos despertar e exigir aquilo a que temos direito. Escrevi este livro por uma razão: para ser uma espécie de toque de despertar que desafie aqueles que estão comprometidos com a vida e em crescer, e usar o poder que lhes foi dado por Deus. Há idéias e estratégias neste livro que o ajudarão a produzir mudanças específicas, mensuráveis e duradouras em si próprio e nos outros.

Eu acredito que sei quem você é realmente. Acredito que você e eu devemos ser almas gêmeas. Seu desejo de crescimento o trouxe a este livro. Foi a mão invisível que o guiou. Não importa o que é nesta vida, sei que você quer mais! Não importa o quão bem tem se saído, ou o grau do desafio que possa estar experimentando agora, no fundo existe a convicção de que sua experiência de vida pode e será muito maior do que é. Você está destinado à sua forma única de grandeza, quer seja um destacado profissional, professor, comerciário, mãe ou pai. O mais importante é que você não apenas acredita nisto, mas também entrou em ação. Não só comprou este livro, como também está fazendo neste exato momento algo que infelizmente é raro — você o está lendo! As estatísticas mostram que menos de dez por cento das pessoas que compram um livro passam do primeiro capítulo. Que desperdício inacreditável! Este é um livro enorme que você pode usar para produzir resultados enormes em sua vida. Claro que você é o tipo de pessoa que não vai se iludir apenas folheando o livro. Tirando uma vantagem sistemática de cada um dos capítulos deste livro, você assegurará sua capacidade de maximizar seu potencial.

Desafio você a fazer o que quer que seja preciso para ler este livro inteiro (ao contrário da massa de gente que desiste), mas que também use o que aprender na rotina diária. Este é o passo mais importante de todos para que você consiga alcançar os resultados que se comprometeu a atingir.

 Trecho do livro Desperte o Gigante Interior, de Anthony Robbins 


Felicidade



“Quando você nasceu,
Todos sorriram e só você chorava.
Viva sua vida de forma que quando você morrer,
Todos chorem e só você sorria!”
Provérbio popular
Em um consultório médico...

- Ah!... Doutor!... Eu queria tanto ter saúde, para ser um pouquinho feliz! Eu sofro tanto! Ninguém consegue resolver o meu problema! Nenhum remédio funciona! Me sinto tão mal!...
Suspirava uma senhora habituada a percorrer todos os consultórios médicos, com as queixas mais variadas possíveis.

E ela continuava:
- Como ser feliz se a cada instante sou contrariada por aqueles que me rodeiam? Como sentir-me em paz com a vida se nunca alcancei o que sempre sonhei? É impossível ficar sorrindo, se só pisamos em espinhos!

E o médico, pacientemente, escutou todas aquelas queixas, analisou uma pilha de exames que a senhora trazia em uma sacola, examinou a paciente dos pés a cabeça, e nada de errado encontrou.

Por fim, o médico parou, pensou, e disse:
- Minha senhora, só existe uma coisa a fazer! Não vai ser fácil, mas eu tenho certeza que você vai conseguir.
A senhora tem razão. É preciso ter saúde para ser feliz. Mas, antes de tudo, é preciso ser feliz para ter saúde.

- Como assim Doutor?
Perguntou intrigada a paciente.

- Vamos trabalhar na sua felicidade para que a sua saúde seja restabelecida. Você está sentindo um grande peso nas costas causado pelas contrariedades do dia a dia e por não conseguir realizar seus sonhos. E é isto que está causando tantas dores que nenhum remédio acalma.
A felicidade não é nenhuma oferta gratuita da vida. Ser feliz é uma verdadeira arte que exige, como todas as artes, muito esforço e dedicação para que a dominemos. Poucas pessoas conseguem porque os homens ainda se portam como crianças acostumadas a bater os pés e reclamar quando não lhes dão o brinquedo que desejam.
Ser feliz não é ver todos os seus desejos e necessidades atendidos. Mesmo que isso acontecesse, continuaria infeliz, porque novos desejos e novas necessidades surgiriam.
Quando nos acostumamos a pensar muito em nós mesmos, ficamos insaciáveis!
Não podemos mudar o mundo a nosso redor, mas podemos mudar a forma como reagimos diante dos fatos e coisas que nos incomodam e contrariam.
Vamos começar olhando para dentro de nós mesmos.
Será que estou pensando só nos meus problemas? Ou estou enxergando os problemas do outro?
Será que estou fazendo alguma coisa para que meu sonho seja realizado?
Será que estou exigindo respeito, afeto, compreensão, sem nunca oferecê-los a ninguém?
Será que eu também não estou sendo um espinho no caminho de outra pessoa, vivendo reclamando e de mal com a vida?
Por isso é que lhe digo que não é fácil.
A primeira coisa que precisa fazer para ser feliz, e assim melhorar as suas dores, é começar a sorrir, mesmo que esteja com vontade de chorar. Sorrindo, todos que estão a sua volta, vão se sentir bem e vão querer estar ao seu lado, nos bons e nos maus momentos. Você vai se sentir querida e mais feliz. Então sorria. Repare o sorriso de uma criança e como todos se encantam quando ela sorri.
Outra coisa importante é parar de reclamar. Ninguém gosta de ficar ao lado de alguém que só lamenta e resmunga. Comece a falar sobre as coisas boas da vida, se achar que nada bom está lhe acontecendo, repare na beleza da natureza, no nascer e no por do sol, nos pássaros cantando ao amanhecer, no desabrochar de uma rosa. Você verá que existe muito de bonito e agradável a seu redor.
Isto é só o começo. Você vai descobrir que muita coisa pode ser mudada para que você se sinta melhor e mais feliz.
Agora vá para casa e pense em tudo isto.

E a senhora saiu do consultório meio aturdida, mas sorrindo, e sem nenhuma receita na mão.
Cristina Corradi 

Primavera


Aprendi com as Primaveras a me deixar cortar
para poder voltar sempre inteira.

Cecília Meireles

A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, - e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, - e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, - e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, - e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, - por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida - e efêmera.

Do livro Obra em Prosa de Cecília Meireles

As Quatro Leis da Espiritualidade Ensinadas na Índia



A Primeira Lei diz:

"A Pessoa que chega é a pessoa certa."

Significa que nada ocorre em nossas vidas por acaso.Todas as pessoas que nos rodeiam,que integram conosco,estão ali por uma razão,para que possamos aprender e evoluir em cada situação.

A Segunda lei diz:

"O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido."

Nada,absolutamente nada que ocorre em nossas vidas poderia ter sido de outra maneira.
Nem mesmo o detalhe mais insignificante!
Não existe: se acontecesse tal coisa,talvez pudesse ter sido diferente!
Não! o que aconteceu foi a única coisa que poderia ter ocorrido e teve que ser assim para que pudéssemos aprender a lição e seguir adiante.
Todas e cada uma das situações que ocorrem em nossas vidas são perfeitas,mesmo que nossa mente e nosso ego resistam em aceitá-las.

A Terceira Lei diz:

"Qualquer momento que algo se inicia é o momento certo."

Tudo começa num momento determinado.
Nem antes,nem depois.
 Quando estamos preparados para que algo novo aconteça em nossas vidas,então será aí que terá o início!

A Quarta e Última Lei diz:

"Quando algo termina,termina!"

Simplesmente assim!
Se algo terminou em nossas vidas é para a nossa evolução!
Portanto, é melhor desapegar,erguer a cabeça e seguir adiante, enriquecidos com mais essa experiência!

Não é por acaso que estamos lendo este texto agora.
Se ele vem à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado.


O Paralítico e o Violino



Numa tarde de verão, um pobre paralítico sentou-se, como habitualmente fazia, num dos bancos de uma Praça em Viena, na Áustria, para ali esmolar. Era do produto das esmolas que ele vivia.

Para atrair os transeuntes, ele tocava um velho violino. Tinha esperanças no efeito da sua música sobre os corações mais generosos. O seu cão, fiel companheiro e amigo inseparável, segurava na boca uma cestinha velha de vime, para que ali fossem depositadas as esmolas que entregavam.

Naquela tarde, entretanto, as esmolas não vinham. Sem dar a mínima atenção ao pobre aleijado, o público passava de um lado para outro apressado e distraído. Ninguém parecia ouvir os seus acordes e muito menos se apercebiam da sua presença ali na praça. Esta situação fazia aumentar ainda mais a infelicidade do pobre paralítico, que tanto carecia das esmolas para a sua sobrevivência.

De súbito, ao lado do deficiente postou-se um cavalheiro bem vestido, que o olhou com compaixão.

Vendo o infeliz pousar o instrumento, já cansado e desanimado, reparando ainda nas lágrimas que lhe rolavam pelas faces, aproximou-se um pouco mais e, colocando uma moeda de prata em sua mão, pediu-lhe licença para tocar o seu violino.

Ajustou as cordas, preparou o arco e se pôs a tocar.

O público, agora atraído pela harmoniosidade da música, começou a aproximar-se. Aglomerou-se ao ponto de se tornar uma multidão.

As moedas de cobre, prata e até algumas de ouro foram enchendo de tal maneira a pequena cesta, que o cão já não podia sustentar o peso em sua boca. Teve de pousá-la ao seu lado, no chão.

O povo aglomerado não só apreciava a música, mas muito mais admirava o gesto do artista. Este, depois de ter tocado uma melodia que foi cantada pelo público, entusiasticamente, colocou o instrumento nos joelhos do paralítico, agora feliz, e desapareceu sem dar tempo a que lhe agradecesse ou fizesse qualquer pergunta. Mas a indagação ficou:
- Quem é este homem que tão bem sabe tocar? Foi a pergunta que se ouviu de todos os lados.

A curiosidade tomou conta do povo. O paralítico também estava curioso, além de extremamente agradecido.

De repente, do meio da multidão, alguém falou que, com certeza, esse homem era Armando Boucher, o célebre violinista que só tocava nos grandes concertos, mas, naquela tarde, parecia ter também colocado a sua arte a serviço do amor.

Os Três Homens




Uma mulher saiu de sua casa e viu três homens com longas barbas brancas, sentados em frente ao quintal de sua casa.

Ela não os reconheceu, mas disse:
- Acho que não os conheço, mas devem estar com fome. Por favor entrem e comam algo.

- O homem da casa está?
Perguntaram.

- Não, ela disse, está fora.

- Então não podemos entrar.
Eles responderam.

A noite quando o marido chegou, ela contou o que havia acontecido.

- Vá e diga que estou em casa e convide-os para entrar.

A mulher saiu e convidou-os para entrar.

- "Não podemos entrar juntos.
Responderam.

- Por que isto?
Ela quis saber.

Um dos velhos explicou-lhe:
- Seu nome é Fartura.

Disse apontando um dos seus amigos e mostrando o outro, falou:
- Ele é o Sucesso e eu sou o Amor.

E completou:
- Agora vá e discuta com o seu marido qual de nós você quer em sua casa.

A mulher entrou e falou ao marido o que foi dito. Ele ficou entusiasmado e disse:
- Que bom! Neste caso vamos convidar o Fartura. Deixe-o vir e encher nossa casa de fartura.

A esposa discordou:
- Meu querido, por que não convidamos o Sucesso?

Foi quando a cunhada, que tudo ouvia do outro canto da casa, apresentou sua sugestão:
- Não seria melhor convidar o Amor? Nossa casa então estará cheia de amor.

- Atentamos pelo conselho de nossa cunhada.
Disse o marido para a esposa.
- Vá lá fora e chame o Amor para ser nosso convidado.

A mulher saiu e perguntou aos três homens:
- Qual de vocês é o amor? Por favor entre e seja nosso convidado.

O Amor levantou-se e seguiu em direção à casa. Os outros dois levantaram-se e o seguiram.

Surpresa, a mulher perguntou:
- Apenas convidei o Amor, por que vocês entraram?
Os velhos homens responderam juntos:
- Se você convidasse o Fartura ou o Sucesso, os outros dois esperariam aqui fora, mas se você convidar o Amor, onde ele for iremos com ele. Onde há amor, há também fartura e sucesso.



A Mais Bela Flor



O local estava deserto quando sentei-me para ler embaixo dos longos ramos de um velho carvalho. Desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois tinha a impressão que o mundo estava tentando me afundar. E se não fosse razão suficiente para arruinar o dia, um garoto ofegante chegou perto de mim, cansado de brincar. Ele parou na minha frente, cabeça pendente, e disse cheio de alegria:
- Veja o que encontrei!

Na sua mão uma flor. E que visão lamentável! Estava murcha com muitas pétalas caídas...

Querendo me ver livre do garoto com sua flor, fingi pálido sorriso e me virei.

Mas ao invés de recuar, ele sentou-se ao meu lado, levou a flor ao nariz e declarou com estranha surpresa:
- O cheiro é ótimo, e é bonita também... Por isso a peguei. Pegue-a, é sua!

A flor à minha frente estava morta ou morrendo. Nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas eu sabia que tinha que pegá-la, ou ele jamais sairia de lá. Então estendi-me para pegá-la e respondi:
- Era o que eu precisava...

Mas, ao invés de colocá-la na minha mão, ele a segurou no ar sem qualquer razão.

Nessa hora notei, pela primeira vez, que o garoto era cego, e que não podia ver o que tinha nas mãos. Senti minha voz sumir. Lágrimas despontaram ao sol, enquanto lhe agradecia por escolher a melhor flor daquele jardim.

- De nada...
Respondeu sorrindo.

E então voltou a brincar sem perceber o impacto que teve em meu dia.

Sentei-me e comecei a pensar como ele conseguiu enxergar um homem auto-piedoso sob um velho carvalho. Como ele sabia do meu sofrimento auto-indulgente? Talvez no seu coração ele tenha sido abençoado com a verdadeira visão.

Através dos olhos de uma criança cega, finalmente entendi que o problema não era o mundo, e sim eu! E por todos os momentos em que eu mesmo fui cego, agradeci por ver a beleza da vida e apreciar cada segundo que é só meu. Então levei aquela feia flor ao meu nariz e senti a fragrância de uma bela flor, e sorri enquanto via aquele garoto com outra flor em suas mãos prestes a mudar a vida de um insuspeito senhor de idade...

Talvez tenha sido por essa razão que um pensador afirmou que o essencial é invisível aos olhos.
As melhores coisas da vida são vistas com o coração!
Autor desconhecido

O Que Não Mata Te Faz Mais Forte



Uma linda mensagem para aqueles que simplesmente ficam chorando diante das mazelas da vida. Seja forte e siga adiante. Faça como as crianças e profissionais do Hospital Nossa Senhora Das Graças em Curitiba, Brasil.
O que não te mata, te faz mais forte.
Seja você também um agente nessa campanha.
Compartilhe.
Doe órgãos, Doe vida.



Stronger, Kelly Clarkson - Mais forte

A cama fica muito mais aquecida
Quando eu durmo aqui sozinha
Sabe, eu ainda sonho colorido
E faço coisas que quero fazer

Você acha que teve o melhor de mim
Acha que você riu por último
Aposto que acha que tudo de bom se foi
Acha que você me deixou machucada
Acha que eu viria correndo de volta
Baby, você não me conhece, você está totalmente errado

O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha
O que não te mata te torna uma lutadora
Deixa os passos mais leves
Não significa que estou acabada só porque você se foi

O que não te mata, fortalece, fortalece
Somente eu, euzinha e eu mesma
O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha

Você já ouviu falar que eu estou com outro?
Que agora eu estou superando você?

Você nunca imaginou que eu voltaria
Que eu voltaria com tudo
Você tenta me machucar

O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha
O que não te mata te torna uma lutadora
Deixa os passos mais leves
Não significa que estou acabada só porque você se foi

O que não te mata, fortalece, fortalece
Somente eu, euzinha e eu mesma
O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha

Graças a você eu tenho alguém novo agora
Graças a você eu não sou só um coração partido
Graças a vocês eu estou pensando finalmente em mim
No final das contas, eu ter partido foi meu começo
No fim

O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha
O que não te mata te torna uma lutadora
Deixa os passos mais leves
Não significa que estou acabada só porque você se foi

O que não te mata, fortalece, fortalece
Somente eu, euzinha e eu mesma
O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha

O que não te mata, fortalece, fortalece
Somente eu, euzinha e eu mesma
O que não te mata te faz mais forte
Te faz sentir melhor
Não significa que estou só quando estou sozinha

Posições



Há longo, longo tempo, compareceram no Tribunal Divino dois homens recém-chegados da Terra.

Um trazia o sinal da muleta em que se apoiara.
Outro mostrava as marcas da coroa que lhe havia adornado a cabeça.
Fariam prova de humildade para voltarem ao mundo ou seguirem além...

Postos, um a um, na balança, o primeiro acusou enorme peso. Era ainda presa fácil de lutas inferiores, parecendo balão cativo.

O segundo, no entanto, revelava grande leveza. Poderia viajar em demanda dos cimos.

Inconformado, contudo, disse o primeiro:
- Onde a justiça divina? Fui mendigo paupérrimo, enquanto ele...
E indicando o outro:
- Enquanto ele era rei... Passei fome, ao passo que muita vez o vi no banquete lauto. Esmolava na rua, avistando-o na carruagem. Conheci a nudez, reparando-o sob manto dourado, quando seguia no triunfo... Vivi entre os últimos, ao passo que ele sempre aparecia como o primeiro entre os primeiros...

O outro baixou a cabeça, humilhado, em silêncio...

Mas o amigo sereno, que representava o Senhor, falou persuasivo:
-Viste-o na mesa farta, mas não lhe percebeste os sacrifícios ao comer por obrigação.
Notaste-o de carro; entretanto, não lhe observaste o coração agoniado de dor, ante os problemas dos súditos a que devia assistência.
Fitaste-o sob dourado manto, nos dias de júbilo popular; todavia, não lhe contemplaste as chagas de sofrimento moral, diante das questões insolúveis...
Conheceste-o entre os maiores da Terra; entretanto, não sabes quantos punhais de hipocrisia e de ingratidão trazia cravados no peito, embora fosse obrigado a sorrir...
Além disso, na posição de soberano, podia ferir e não feriu, humilhar e não humilhou a ninguém, prejudicar e não prejudicou, desertar e não desertou...

Na situação de mendigo, não foste lançado a semelhantes problemas da tentação...

Diante do companheiro triste, o ex-monarca recebeu passaporte para a ascensão sublime.

Sozinho e em lágrimas, perguntou então o ex-mendigo:
- E agora?

O ministro angélico abraçou-o sensibilizado, e informou:
- Agora, renascerás na Terra e serás também rei.

A estrada não trilhada




Num bosque, em pleno outono, a estrada bifurcou-se,
Mas, sendo um só, só um caminho eu tomaria.
Assim, por longo tempo eu ali me detive,
E um deles observei até um longe declive
No qual, dobrando, desaparecia…

Porém tomei o outro, igualmente viável,
E tendo mesmo um atrativo especial,
Pois mais ramos possuía e talvez mais capim,
Embora, quanto a isso, o caminhar, no fim,
Os tivesse marcado por igual.

E ambos, nessa manhã, jaziam recobertos
De folhas que nenhum pisar enegrecera.
O primeiro deixei, oh, para um outro dia!
E, intuindo que um caminho outro caminho gera,
Duvidei se algum dia eu voltaria.

Isto eu hei de contar mais tarde, num suspiro,
Nalgum tempo ou lugar desta jornada extensa:
A estrada divergiu naquele bosque – e eu
Segui pela que mais ínvia me pareceu,
E foi o que fez toda a diferença.

Robert Frost (1874 – 1963)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...