Liberdade



Disseram-me
Certa vez,
Que meus versos eram livres de mais
Não obedecem à técnica
De métricas perfeitas
Há fugidio ritmo, disseram.

Temi, por ser assim,
Em tanta distância de meu pai Homero
Criador dos versos mais belos.

Mas na verdade,
O que mais temi,
Foi que tivessem dito também,
Que eles, versos meus,
Espelhavam...
Como francas janelas o fazem,
Minha alma livre e descompassada...
Minha alma alegremente desritmada, esconsa...
Obstinada e fiel a mais pura destinação da liberdade!

Temi que dissessem que minha alma é livre.
Sim,
Livre.
Livre como os versos que escrevo.
Lauro Salles

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...