Dor




Dor...
“Uma desagradável experiência sensorial e emocional associada a um dano atual ou potencial”.

Esta definição de dor mostra o quão subjetiva ela pode ser, como ela pode variar de acordo com o julgamento de cada pessoa, como o sentir a dor está relacionado com nossas experiências passadas, com nossos medos, com nossos anseios...

A dor é e sempre será uma dor.
Física, causada por um ferimento ou qualquer dano tecidual.
Ou Psíquica, relacionada ao sentimento de perda, abandono, culpa, frustração, angústia...

E sua intensidade, subjetiva intensidade...
Estará sempre ligada a características pessoais, biológicas, psíquicas, culturais e espirituais.

Dizem que as mulheres são mais resistentes à dor do que os homens.
Será isso uma verdade?
Como alguém poderá saber a intensidade da dor de outra pessoa?
Difícil de dizer, pois somos seres diferentes, com experiência de vida diferente, credos diferentes, e sentimos a dor também de forma diferente.

Cada um de nós, percebe, reage e elabora a sua dor de forma particular.

Caso eu considere a dor como um sinal de covardia ou fraqueza,
Irei negá-la.
Suportarei- a calada, em silêncio.
Posso até morrer por dentro,
Mas exibirei um sorriso no rosto em meio a multidão.
E na calada da noite, sozinha,
Quem sabe derramarei meu pranto.

Caso eu esteja psicologicamente abalada ou com pena de mim mesma,
Irei supervalorizá-la.
Gritarei, e me derramando em lágrimas...
Vou querer a atenção de todos a minha volta.

A dor não é só do corpo, mas também da alma, do sentimento.
E cada pessoa vai expressá-la de acordo com o que aprendeu desde a infância, em seu meio social, de acordo com a cultura da população em que está inserida, incluindo suas crenças, comportamentos, percepções, emoções, religião, estrutura familiar, linguagem, imagem corporal e tudo mais que possa exercer algum efeito na tolerância ou não à dor.

Situações nas quais estímulos, que produzem uma dor insuportável em uma pessoa, podem muito bem ser toleráveis para outra, pois cada um de nós é único, e cada um de nós trás consigo um sentimento único.

Estamos sempre aprendendo, e nesse aprendizado, podemos nos tornar mais fortes através da dor, transformando-nos em pessoas melhores ou piores. A transformação vai depender da vontade e do caráter de cada um.

A dor faz parte de nossas vidas, assim como tantos outros sentimentos.
E esse Pedaço de Mim, capaz de despertar um sentimento chamado Saudade, que me molha os olhos e me faz sentir uma dor lancinante, tão intensa que nem pode ser mensurada, também poderá ser transformada. Mas mesmo transformada, uma dor amenizada pelo tempo vai estar ali para sempre, sempre presente...
Cristina Corradi

video




Pedaço de Mim - Chico Buarque
Interpretes: Zizi Possi & Chico Buarque

Oh, pedaço de mim
Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar

Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais

Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi

Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Lava os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...