O Sagrado no Profano


Jung acreditava que Deus, o Deus vivo,
Só poderia ser encontrado ali onde menos queremos olhar,
Naquele local que mais temos resistência para explorar.

Esse Deus vivo está entremeado com a nossa própria escuridão e sombra,
Está entrelaçado com as nossas feridas e complexos,
Está ligado às nossas patologias.

Por outro lado,
O Deus da Crença,
Aquele Deus remoto,
Retirado da criação e da vida cotidiana,
Liberta-nos da nossa imperfeição,
Purifica-nos de toda a contaminação terrena
E resolve os aspectos mais difíceis do dilema humano.

A alquimia é um processo para extrair o Deus vivo
Dos aspectos mais venais,
Mais corruptos da vida.

Mas esse processo não pode ser iniciado
Até que a venalidade seja reconhecida.

Não é que precisemos criar venalidade.
Ela já existe,
De modo explícito e com a nossa cumplicidade.

É mais uma questão de reconhecê-la,
De admitir sua existência em nós mesmos:
Nas nossas pequenas ações,
Fantasias,
Negócios secretos,
Nos nossos momentos ocultos.
Trecho retirado do livro “Encontro da Sombra” Connie Zweig e Jeremiah Abrams

Um comentário:

  1. Gostei da foto, perfeita kkkkkkkkk

    Estou lendo Ao Encontro da Sombra, livro fora do comum, muito bom, fora do comum no preço tambemm paguei 180,00 R$ no danado.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...