Canção de Amergin



Ao colocar os pés em solo irlandês, Amergin fez um poema, reivindicando as terras da Irlanda. Ele invoca os reinos do céu, da terra e do mar, com palavras de sabedoria e poder, pois cada ser carrega em si elementos que os une à natureza e aos Deuses, integrando o homem com o Todo e o ambiente que o cerca.


Sou o vento que sobra sobre o mar;
Sou a onda das profundezas;
Sou o rugido do oceano;
Sou o touro de Sete Batalhas;
Sou um falcão no penhasco;
Sou um raio de sol;
Sou a mais verdejante das plantas;
Sou um javali em fúria;
Sou um salmão no rio;
Sou um lago na planície;
Sou uma palavra de Sabedoria;
Sou a ponta de uma lança;
Sou a fascinação para além dos confins da terra;
Como os Deuses, posso mudar de forma.


Letra em gaélico

Am gaeth i m-muir;
Am tond trethan;
Am fuaim Mara;
Am dam secht ndirend;
Am séig i n-aill;
Am dér gréne;
Am cain lubai;
Am torc ar gail;
Am he i l-lind;
Am loch i m-maig;
Am brí a ndai;
Am bri i fodb fras feochtu;
Am dé delbas do chind codnu;
Coiche nod gleith clochur slébe;
Cia on co tagair aesa éscai;
Cia du i l-laig fuiniud gréne;
Cia beir buar o thig tethrach;
Cia buar tethrach tibi;
Cia dám, cia dé delbas faebru a ndind ailsiu;
Cáinte im gai, cainte gaithe.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...