Reflexão de Liz Gilbert

Trecho do livro Comer Rezar e Amar de Elizabeth Gilbert

Quando se está perdido nessa selva, algumas vezes é preciso algum tempo para você se dar conta de que está perdido.
Durante muito tempo, você pode se convencer de que só se afastou alguns metros do caminho, de que a qualquer momento irá conseguir voltar para a trilha marcada.
Então a noite cai, e torna a cair, e você continua sem a menor ideia de onde está, e é hora de reconhecer que se afastou tanto do caminho que sequer sabe mais em que direção o sol nasce.

O que estava na raiz de todo aquele desespero?
Seria psicológico?
Culpa de mamãe e papai?
Seria apenas temporário, um “período difícil” da minha vida?
Seria genético?
Seria cultural?
Seria astrológico?
Seria artístico?
As pessoas criativas não sofrem sempre de depressão por serem ultrassensíveis e especiais?
Seria evolucionário?
Será que carrego comigo o pânico residual que vem de milênios de tentativas da minha espécie de sobreviver em um mundo brutal?
Seria cármico?
Será que esses espasmos de tristeza são apenas as conseqüências de um mau comportamento em vidas passadas, os últimos obstáculos antes da libertação?
Seria hormonal?
Nutricional?
Filosófico?
Sazonal?
Ambiental?
Será que eu estava experimentando uma ânsia universal por Deus?
Será que estava com um desequilíbrio químico?
Ou será que eu simplesmente precisava transar?

Que quantidade incrível de fatores constitui um único ser humano!
Em quantas camadas nós funcionamos, e que quantidade de influências recebemos de nossas mentes, corpos, histórias, famílias, cidades, almas e almoços!

Passei a ter a sensação de que minha depressão se devia provavelmente a uma combinação instável de todos esses fatores, e provavelmente também incluía algumas coisas que eu não saberia nem identificar nem explicar.
Então, passei a lutar em todas as frentes.

Se você tem a coragem de deixar para trás tudo que lhe é familiar e confortável...
(pode ser qualquer coisa, desde a sua casa aos seus antigos ressentimentos)
...e embarcar numa jornada em busca da verdade...
(para dentro ou para fora)
...e se você tem mesmo a vontade de considerar tudo que acontece nessa jornada como uma pista...
...e se você aceitar cada um que encontre no caminho como professor...
...e se estiver preparada, acima de tudo, para encarar...
(e perdoar)
...algumas realidades bem difíceis sobre você mesma…
então a verdade não lhe será negada.
Elizabeth Gilbert in Comer, Rezar e Amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...