Cortando o Tempo

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. 
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão. 
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. 
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez 
com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente... 

Para você,
Desejo o sonho realizado… 
O amor esperado…
A esperança renovada…

Para você,
Desejo todas as cores desta vida… 
Todas as alegrias que puder sorrir…
Todas as músicas que puder emocionar…

Para você neste Novo Ano, 
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices…
Que sua família esteja mais unida…
Que sua vida seja mais bem vivida…

Gostaria de lhe desejar tantas coisas... 
Mas nada seria suficiente.

Então,
Desejo apenas que você tenha muitos desejos. 
Desejos grandes... 
e que eles possam te mover a cada minuto,
no rumo da sua Felicidade.
Autor Desconhecido

Renascer

Nesse ano que se inicia…

Não importa o que faça,
faça-o com profunda percepção, pois então,
até mesmo as pequenas coisas se tornarão sagradas.

Dessa forma, cozinhar ou limpar a casa serão sagrados,
serão uma oração.

Não importa o que esteja fazendo,
o que importa é como está fazendo.

Você pode limpar o chão como um robô, como um dispositivo mecânico:
é preciso limpar o chão, então você o limpa.
Mas, se fizer isso de forma automática,
estará deixando de ver algo de belo.

Limpar o chão poderia ser uma grande experiência,
mas você a terá perdido.
O chão ficará limpo,
mas algo que poderia ter acontecido dentro de você não aconteceu.
Se você estivesse perceptivo, alerta,
não apenas o chão, mas também você,
teria sentido uma limpeza profunda.

Limpe o chão em estado de total percepção, iluminado pela percepção.
Trabalhe ou sente-se ou ande,
mas uma coisa precisa ser continuamente desenvolvida:
faça com que um número cada vez maior de momentos em sua vida,
sejam iluminados pela percepção.
Deixe que a chama da percepção brilhe em cada momento, em cada ato.

Atingir a iluminação será o efeito cumulativo disso.
O efeito cumulativo,
todos os momentos juntos,
todas as pequenas luzes juntas
tomam-se uma grande fonte de luz.

Vamos renascer em nós mesmos.

Feliz Ano Novo!


Bate o Sino

Feliz Natal para todos!
Música: "Bate o Sino" - Projeto 4 Cantos - Luigi Bertolli

Bate o sino pequenino, sino de Belém
Já nasceu Deus menino para o nosso bem
Paz na Terra, bate o sino, vamos festejar
Abençoe Deus menino esse nosso lar

Hoje a noite é bela, flores na na janela
Juntos eu e ela, felizes a cantar
Ao soar o sino, sino pequenino
Vem o Deus menino nos abençoar

video

Revelação

Eu queria dizer uma coisa que eu não posso sair dizendo por aí. 
É um segredo que eu guardo, é uma revelação 
Que eu não posso sair dizendo por aí. 

É que eu tenho medo
De que as pessoas se desequilibrem delas mesmas.
Que elas caiam quando eu disser. 

É que eu descobri que a palavra não sabe o que diz. 
A palavra delira.
A palavra diz qualquer coisa. 

A verdade é que a palavra, ela mesma, em si própria, não diz nada. 

Quem diz é o acordo estabelecido entre quem fala e quem ouve. 
Quando existe acordo existe comunicação.

Mas quando esse acordo se quebra ninguém diz mais nada
Mesmo usando as mesmas palavras.
Viviane Mosé

Doidas e Santas

Eu só conheço mulher louca.
Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se
ela não tem ao menos três dessas qualificações:
exagerada,
dramática,
verborrágica,
maníaca,
fantasiosa,
apaixonada,
delirante.

Pois então.
Também é louca.
E fascinante.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela,
não importa a idade que tenham.
Nossa insanidade tem nome:
chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.

Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira
para ver quem está chamando lá fora.

E santa, fica combinado, não existe.

Uma mulher que só reze,
que tenha desistido dos prazeres da inquietude,
que não deseje mais nada?

Você vai concordar comigo:
só sendo louca de pedra.
Martha Medeiros

Poema do Milho

Sou a planta humilde
Dos quintais pequenos e das lavouras pobres;
Meu grão, perdido por acaso, nasce e cresce na terra descuidada;
Ponho folhas e haste…
E se me ajudares Senhor,
Mesmo planta de acaso,
Solitária,
Dou espigas e devolvo em muitos grãos o grão perdido inicial
Salvo por milagre, que a terra fecundou.

Sou a planta primária da lavoura.
Não me pertence a hierarquia tradicional do trigo.
E de mim, não se faz o pão alvo, universal.

O Justo não me consagrou Pão da Vida,
Nem lugar me foi dado nos altares.

Sou apenas o alimento forte e substancial
Dos que trabalham a terra,
onde não vinga o trigo nobre.

Sou de origem obscura e de ascendência pobre.
Alimento de rústicos e animais do jugo.

Fui o angu pesado e constante do escravo na exaustão do eito;
Sou a broa grosseira e modesta do pequeno sitiante;
Sou a farinha econômica do proletário;
Sou a polenta do imigrante
E a miga dos que começam a vida em terra estranha.

Sou apenas a fartura generosa e despreocupada dos paióis;
Sou o cocho abastecido donde rumina o gado;
Sou o canto festivo dos galos na glória do dia que amanhece;
Sou o cacarejo alegre das poedeiras à volta dos seus ninhos.

Sou a pobreza vegetal,
Agradecida a Vós, Senhor,
Que me fizeste necessária e humilde
Sou o milho.
Cora Coralina

Supreme Music feat Neele Ternes - Dad

Neste Natal
Lembre-se daquele que está sempre a seu lado…

Um emocionante e diferente comercial que vem encantando a todos...
Fica em mim o desejo que atitudes sejam mudadas através dele.


Supreme Music feat Neele Ternes - Dad


Pai
Eu nunca te disse o quanto você significa para mim
O que no mundo eu faria
Eu simplesmente nunca me coloquei em seu lugar

Lá se vai um dia
Lá se vai uma semana
Tantas coisas eu tinha a fazer
Quanto mais fiz, menos cuidei
E mais, perdi o amor que você compartilhava

Se a vida fosse uma música
Certamente seria uma triste música
Eu não saberia dizer as palavras sem você Pai
Você tem estado em meus pensamentos
A todo instante,
E tenho sentido sua falta

Eu imaginava que nossa casa era apenas paredes que eu conhecia
Mas a verdade é que nossa casa, sem você
Não é nada

Na verdade…
Minha casa, sem você
Não é nada

O Mistério das Cousas

O mistério das cousas, onde está ele?
Onde está ele que não aparece
Pelo menos a mostrar-nos que é mistério?
Que sabe o rio disso e que sabe a árvore?
E eu, que não sou mais do que eles, que sei disso?

Sempre que olho para as cousas
E penso no que os homens pensam delas,
Rio como um regato que soa fresco numa pedra.

Porque o único sentido oculto das cousas
É elas não terem sentido oculto nenhum,
É mais estranho do que todas as estranhezas
E do que os sonhos de todos os poetas
E os pensamentos de todos os filósofos,
Que as cousas sejam realmente o que parecem ser
E não haja nada que compreender.

Sim,
Eis o que os meus sentidos aprenderam sozinhos…

As cousas não têm significação: têm existência.
As cousas são o único sentido oculto das cousas.
Fernando Pessoa

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...