A Lenda de Clytie


Segundo uma lenda da Mitologia Grega, Clytie, uma jovem ninfa da água, filha de Oceano e Tétis, se apaixonou perdidamente por Helio, o Deus Sol, e pela luz que dele desprendia sempre que passava acima dela com seu carro de fogo pelo céu.
Ela vivia só para olhar sua resplandecente luz. Admirava sua força e sua beleza.
Ao tocar sua pele com o calor de seus raios, a ninfa pensava que ele lhe enviava carícias, e isso a fazia sentir-se muito feliz.

Mas o Deus Hélio havia se enamorado por Leucótoe.
Clytie, com ciúmes, contou ao pai de Leucótoe, que trancou sua filha em uma torre escura para que não pudesse mais ver o Deus Hélio.
Então, Deus Hélio, cheio de ira, menosprezou Clytie.

Ao sentar-se junto a um arroio, os longos cabelos da ninfa Clytie lhe caíam sobre suas costas e sobre seu rosto. Esperava que o Deus Hélio viesse acariciá-la novamente, mas depois do entardecer, quando a noite se aproximava, o seu amado Deus não aparecia. Ao invés, escondia-se por detrás das nuvens, procurando ignorá-la.

Mas ela não deixou de amá-lo e tentar conquistá-lo.
Sob o céu nebuloso, passou a chorar intensamente. Ficava durante todo o dia sentada no chão frio com suas tranças desatadas sob os ombros.

Os dias se passaram sem que ela comesse ou bebesse. Alimentava-se apenas das próprias lágrimas. Sofrendo, Clytie começou a definhar.
Durante o dia contemplava o Sol desde o nascente ao poente, era a única coisa que via e seu rosto estava sempre voltado para ele, já à noite, curvava-se para chorar.

Depois de dias de espera, os Deuses, apiedados, se perguntaram:
- Que faremos agora com a inconsolável ninfa Clytie?
- Faremos dela uma flor que siga os passos de Hélio, com esperança.
E os deuses a converteram paulatinamente numa flor que até hoje, vive, girando em torno de si mesma, a buscar os raios do Sol.

Clytie perdeu sua aparência de ninfa. De seus pés surgiram raízes que se encravaram no solo, e de seu lindo rosto saíram pétalas de cor de ouro. Ao se alimentar de seu próprio ópio e de seus prantos tornou se uma linda flor sempre seguindo o rumo do sol e que vive a espera que Hélio possa vir a tocá-la um dia novamente.

O tempo e a lealdade de seu amor infrutífero a converteram em um girassol, uma bela criatura dedicada somente a seguir com o olhar o objeto de seu amor impossível: Helio, o Deus Sol.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...